domingo, 22 de maio de 2011

ELA VAI LONGE

Ela, nesse caso, é minha mãe.

Como zilhões de pessoas, teve um caminho cheio de percalços. Mas, teve também muita alegria e jogo de cintura pra seguir caminhando. Perfeita até nas suas imperfeições, como quase toda mãe, ela me enche de orgulho.

Da infância ao casamento, sua vida daria um livro. Às vezes alegre, às vezes triste. Mas isso é outra história. Fato é que ela ficou viúva muito cedo, e, um certo dia resolveu aprender dança de salão. Bestas que só, eu e minha irmã achamos uma bobagem. Mas ela foi lá, aprendeu e aprende ainda hoje. (Por minha vez, paguei língua e hoje eu é que sou alucinado por dança).

Depois resolveu estudar. A 4ª série primária realmente era pouco pra ela. Algumas colas depois e uma certa lábia nos professores, completou o ensino fundamental.

Com uma disposição invejável, passou a frequentar o grupo da 3ª idade. Lá joga boliche e lanceball. Às vezes o ombro sai do lugar e minha irmã tem que buscar a mãe travessa com “cara de cachorro que caiu da mudança” no hospital, mas tudo bem... ela é disciplinada e sempre cumpre as sessões de fisioterapia.

Então, resolveu se dedicar a uma nova empreitada: a carteira de motorista. Vejam só, aos 63 anos de idade foi atrás da sua habilitação. Como ela gosta de frisar, era dia de Nossa Senhora de Fátima (que deu aquela forcinha) a sexta-feira em que ela me ligou e perguntou se eu estava sentado. Pensei logo em coisa ruim. Mas ela não se continha de alegria pra me dizer que tinha sido aprovada no exame de direção. Agora já faz planos para comprar o próprio carro.

O que me resta se não ficar orgulhoso? Um pouco de preocupação. Se ela não para quieta nem a pé, imagine de carro... Mas, sim. Sinto orgulho de ver essa mulher forte se colocando diante de desafios e superando-os um por um. Sei que posso falar por mim e pela minha irmã: minha mãe é inspiradora e nos emociona por ser.

É uma pena ela não ler este post, porque não tem a menor intimidade com o computador e a internet. Por enquanto...

Alguém duvida?

6 comentários:

  1. NOssa, muito bom!!!
    Deu até vontade de escrever sobre minha mãe, que é uma guerreira também.
    Parabéns pela mãe, pelo texto, por vc ser quem é.
    hehe

    MAU CARÁTER

    ResponderExcluir
  2. Lindo o texto. Fiquei emocionada. Espero que um dia minha filha também se orgulhe de mim.
    Ah! Seu blog é o máximo. Sempre dou uma passadinha por aqui.

    ResponderExcluir
  3. Tenha mesmomuito orgulho dessa mãe, afinal pra criar UM FILHO COMO VOCê tem que ser alguém muito demais mesmo!

    ResponderExcluir